Fibromialgia e dores disfuncionais

fibromyalgia_tender_points_chart-2-359x334

Fibromialgia corresponde a uma síndrome clínica caracterizada por dor no corpo difusa, associada a dor à pouca resistência aos esforços físicos. Atualmente, o conceito de fibromialgia envolve, além da dor muscular, uma série de sintomas ditos “disfuncionais”, tais como sono não reparador, fadiga, rigidez matinal, queixas de memória, síndrome do intestino irritável, alterações do humor, parestesias e outros. É importante descartar algumas doenças reumatológicas, disfunção da glândula tireóide, déficits de vitaminas no diagnóstico diferencial. Acredita-se que esta doença seja causada por uma disfunção sensorial de mecanismos de percepção e inibição de dor (ou dor disfuncional). As vias inibitórias de dor (serotoninérgicas e noradrenérgicas) não conseguem controlar adequadamente impulsos dolorosos ascendentes. Além disso, há um déficit do neurotransmissor serotonina, em comparação com pacientes controle, sem a síndrome. Por isso, é frequente a associação desta síndrome com sintomas depressivos e ansiosos. Assim como na fibromialgia, outras síndromes dolorosas envolvem aspectos disfuncionais como algumas cefaleias crônicas (como a migrânea ou enxaqueca) e a síndrome do intestino irritável. Anteriormente, o diagnóstico da síndrome envolvia a palpação dos “tender points”, 18 pontos de sensibilidades, mostrados na figura acima. Atualmente, o Colégio Americano de Reumatologia atualizou os critérios diagnósticos, abrangendo 19 regiões corporais avaliadas, além da presença de fadiga, sono não reparador e queixas de memória. Quanto ao tratamento, existem algumas medicações aprovadas pelo FDA como tratamento de escolha da fibromialgia. Entre elas estão a Pregabalina e Duloxetina. Uma terceira medicação , o Milnacipran, não é comercializado no Brasil. Como segunda linha, podemos utilizar Antidepressivos tricíclicos e Relaxantes musculares, tais como a Ciclobenzaprina. As medidas não farmacológicas são de suma importância para um tratamento de sucesso. Exercícios físicos são o “carro-chefe” para pacientes om fibromialgia. Eles vão ajudar a estimular a produção de neurotransmissores que faltam a estas pessoas, além de condicionar os músculos a suportarem melhor os estresse do dia-a-dia. Terapia cognitivo comportamental e biofeedback são outras medidas que podem ajudar ao paciente que sofre desta doença.

2 comentários sobre “Fibromialgia e dores disfuncionais

  1. tenho dor do lado direito dah barriga acima dah virilha,
    jah fiz todos os exames e ñ deu nada…
    estou tratando com um geriatra do hospital sírio libanês, estou tomando ante depressivo, mas ñ tah resolvendo…
    faz um ano e meio que sofro com essa dor… que posso fazer?
    por favor me ajude!
    aguardo resposta, Dirah

    • Prezada Dirah,
      Seria necessária uma avaliação mais a fundo de seu caso para caracterizar sua dor, se existem características de dor neuropática ou se é uma dor visceral. Existem tratamentos medicamentosos e bloqueios possíveis, que podem ser indicados após avaliação cuidadosa.
      Atenciosamente,
      Dra Karen

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *